18 de março de 2017

Chuva forte rompe barragem de açude e alaga casas e vias em Assaré no Ceará


Casa desabou em Assaré (Foto: Leitor via WhatsApp/O POVO)

A cidade de Assaré amanheceu sob fortes chuvas, na madrugada desta sexta-feira, 17, fazendo com que vias e casas ficassem alagadas. A barragem do açude dos Montes rompeu com a intensidade da precipitação. Foi necessário apoio do Corpo de Bombeiros do Cariri porque várias pessoas chegaram a ficar desalojadas, conforme a Polícia Militar.
Entre as 7 horas de quinta-feira, 16, e as 7 horas de sexta-feira, 17, choveu 88 mm em Assaré, conforme os dados da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). A precipitação foi a segunda maior do Ceará nesta madrugada, perdendo apenas para a Altaneira (120.7 mm).
Carros chegaram a boiar nas vias alagadas nos bairros Corjas e Populares, em que o açude dos Montes está situado. "O açude rompeu e algumas residências ficaram alagadas, com pessoas desalojadas. As pessoas solicitaram a Polícia e foi necessário reforço dos bombeiros de outras cidades", relata o escrivão Carlos Pereira, da PM de Assaré.

Ruas e vias alagadas em Assaré (Foto: Leitor via WhatsApp/O POVO)

Além do reforço do Corpo de Bombeiros do Crato, os bombeiros de Juazeiro do Norte chegaram a ser acionados, mas a operação acabou sendo cancelada. "Quando chamaram, a água começou a baixar e cancelaram a ida da equipe devido à distância", explicou o soldado identificado apenas Beltrão, do Corpo de Bombeiros de Juazeiro.
Os bombeiros militares do Crato estão deslocados nas áreas mais afetadas pelos alagamentos, ainda conforme a PM da cidade.
O POVO Online tentou entrar em contato com a Prefeitura de Assaré pelos números disponibilizados nas páginas oficiais do órgão, mas as ligações não foram atendidas durante toda a manhã.

Ruas e vias alagadas em Assaré (Foto: Leitor via WhatsApp/O POVO)
Ruas e vias alagadas em Assaré (Foto: Leitor via WhatsApp/O POVO    

Resgate
Segundo a assessora do Corpo de Bombeiros do Ceará, capitã Juliany Freire, equipes do Cariri foram deslocadas ao local durante a manhã. “Tivemos informações de edificações com estrutura comprometida, mas não há registro de vítimas”, disse ela.
O tenente-coronel Marcus Costa, relações públicas da Célula de Segurança Operacional da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), informou que as equipes estão em alerta para o caso de haver necessidade de operação. 
Gerente de Minimização de Desastres da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, capitão Aluízio Freitas, informa que está em contato com o prefeito de Assaré, Evanderto Almeida. "Prestaremos auxílio no sentido de complementar o atendimento das equipes de lá para caso seja necessário decretar estado de emergência e solicitar recursos", frisa. 

Ruas e vias alagadas em Assaré (Foto: Leitor via WhatsApp/O POVO)

Chuvas 
A Funceme aponta que houve registro de chuva em 123* municípios, entre as 7 horas dessa quinta-feira, 16, e as 7 horas desta sexta-feira, 17. Além de Altaneira e Assaré, as chuvas mais significativas foram em Porteiras (87 mm), Missão Velha (74 mm), Ibaretama (56 mm), Santana do Cariri (51 mm), Pires Ferreira (51 mm), Redenção (50.4 mm) e Fortaleza (50 mm).

O açude Canoas, também em Assaré, atingiu 8,39% do seu volume total nesta sexta-feira, 17, conforme monitoramento da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). O açuce dos Montes, por ser privado, não é monitorado pela Companhia. 
Após às 7 horas, as chuvas em Assaré continuaram intensas até o fim desta manhã, mas o volume ainda não foi registrado pela Funceme. O resumo dessa chuva que caiu depois de 7 horas só será finalizado na manhã deste sábado, 18.
O meteorologista da Funceme, David Ferran, explica que essas chuvas são ocasionadas pela Zona de Convergência Intertropical, fenômeno típico da quadra chuvosa no Ceará.
A tendência, segundo David, é de chuvas até este sábado, 18, quando a intensidade deve começar a reduzir.
O volume acumulado nesta madrugada, em Assaré, está entre os maiores registros da história da cidade, conforme monitoramento da Funceme a partir de 1974. Até agora, o maior registro ocorreu no dia 17 de janeiro de 2004 (180 mm).  Veja: 

Maiores volumes de chuvas em Assaré no período de 24 horas

Com informações do Jornal O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário