15 de fevereiro de 2017

Prédio do Colégio Cearense torna-se patrimônio histórico e cultural

Colégio Cearense é tombado patrimônio histórico e cultural do Ceará (Foto: Secult/Divulgação)
O Conselho Estadual do Ceará de Preservação do Patrimônio aprovou nesta terça-feira (15) o tombamento definitivo, em âmbito estadual, do prédio do Colégio Cearense, em Fortaleza. O tombamento teve 12 votos favoráveis, uma abstenção e nenhum voto contrário. A reunião que tornou o prédio patrimônio histórico cultural ocorreu no próprio colégio,que atualmente abriga um centro universitário.
Com a decisão, a edificação é reconhecida como um bem material de valor histórico, cultural e arquitetônico para o estado, protegendo-o de descaracterização ou de destruição através da aplicação de legislação específica.
"Compreendemos a importância dada a esse imóvel, tanto pela qualidade da sua arquitetura, como também pela representação que possui na memória e na história da educação no Estado do Ceará", ressalta o coordenador de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural da Secult, Alênio Carlos.
O Colégio Cearense do Sagrado Coração foi fundado entre 1913 e 1914, pelos padres Missael Gomes, José Quinderé e Climério Chaves. Três anos depois a administração da escola foi repassada aos Irmãos Maristas, movimento religioso surgido na França em 1817, pelo então padre Marcelino Champagnat e trazido ao Brasil em 1897.
O conjunto edificado do qual é composto sofreu vários acréscimos e intervenções em mais de cem anos de existência sendo, porém, em sua maioria, reversíveis ou de fácil identificação.
A edificação original composta em dois pavimentos. A Capela, construída em 1926, alinhada e harmonizada formalmente ao corpo edificado original. Destaca-se também em seu conjunto o bloco em arquitetura modernista, erguido em 1961, de salas de aula e alojamentos de sete pavimentos, concebido em arquitetura moderna.
Com informações do G1 CE

Nenhum comentário:

Postar um comentário