1 de dezembro de 2016

Disputa pelo comando da AL-CE faz Camilo e Domingos Filho romperem

A apuração do O POVO, o racha foi acompanhado por exonerações que devem sair no Diário Oficial de 30 de novembro. Os nomes cortados fazem parte da cota de Domingos Filho no Governo do Ceará e na Prefeitura de Fortaleza.
Ambos os candidatos são do PDT e, apesar de Zezinho ser oficialmente o “candidato do Governo”, por ter apoio do governador Camilo Santana, Sérgio também é parte do núcleo dos Ferreira Gomes.
Segundo interlocutores, Domingos Filho, que é conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), teria irritado os irmãos Ferreira Gomes por supostamente ter usado sua influência na Corte de Contas para conseguir apoio a Sérgio. O deputado é filho do atual presidente do TCM, Chico Aguiar, que insiste não ter qualquer interferência na disputa.
“Saio no momento em que magistrados pertencentes ao Tribunal de Contas dos Municípios – que têm por obrigação mínima a imparcialidade e a distância da política – interferem acintosamente na sucessão da Presidência da casa da qual ainda sou parte”, criticou Ivo Gomes, que deixa a Casa para assumir a Prefeitura de Sobral.
Acirramento
O rompimento pode gerar significativa redução na base, que hoje conta com 31 dos 46 deputados e costuma vencer votações com certa vantagem. Declarações de apoio indicam que cada candidato tem cerca de 20 votos, o que deixaria a decisão final nas mãos de seis parlamentares.

Até às 22 horas de ontem, as chapas ainda estavam indefinidas. Reuniões estavam previstas para se estender pela madrugada. Somente na manhã de hoje, pouco antes da votação, a composição das chapas será revelada.
Cada uma das 10 vagas de ambas as chapa tem sido cuidadosamente negociada para garantir a vitória. De um lado, o bloco de PSD-PMB-PEN-PCdoB-PRP, com 11 deputados, além da bancada do PMDB, declarou apoio a Sérgio. De outro lado, o PDT, PT, DEM e maioria do PP se alinharam com Zezinho Albuquerque.
O perfil dos candidatos
José Jácome Carneiro Albuquerque, mais conhecido como Zezinho Albuquerque, é empresário. Nasceu em Massapê, região Norte do Ceará, no dia 19 de março de 1955. Foi eleito pela primeira vez em 1990. Em 2014, foi reeleito deputado estadual, conquistando seu sétimo mandato na AL.
Por diversas vezes, Zezinho Albuquerque foi componente da Mesa Diretora, onde também já ocupou os cargos de 1º secretário, 2º vice-presidente, 3º secretário e 2º secretário. Exerceu a presidência da Assembleia Legislativa no biênio 2013/ 2014.
Em 1º de fevereiro de 2015, Zezinho Albuquerque foi reeleito presidente da Assembleia Legislativa do Ceará, cargo que exerce no biênio 2015/2016.
Sérgio de Araújo Lima Aguiar está no terceiro mandato de deputado estadual, tendo sido eleito pela primeira vez em 2006. Antes disso, ele havia sido vereador e prefeito de Camocim, até hoje seu reduto eleitoral. Sérgio Aguiar também serviu como assessor de Ciro Gomes quando o ex-governador chefiava o Ministério da Integração Nacional, no governo Lula. Ele vem de família de políticos. O pai Francisco Aguiar é o atual presidente do TCM. O avô Murilo Aguiar esteve na última eleição de Mesa Diretora em que duas chapas concorreram, em 1985. Após perder por apenas dois votos, Murilo passou mal, teve um infarto e morreu um dia após a derrota na Assembleia.
Saiba mais
Histórico da aliança
Grupos dos Ferreira Gomes e de Domingos Filho são aliados no Ceará desde 2007, início da gestão Cid. Ex-presidente da Assembleia, Domingos migrou do PMDB para as siglas do grupo dos irmãos Gomes e tem sido um dos principais fiadores de candidaturas do bloco. Em 2014, abriu mão de ser candidato ao governo do Estado e foi indicado ao TCM. Segundo apuração do O POVO, ele estaria cogitando se candidatar a governador em 2018.
Perdas
Esta é a maior baixa no arco de sustentação que governa o Estado desde saída de Eunício Oliveira (PMDB) da aliança em 2014. Em 2010, o grupo teve outra baixa ao romper com Tasso Jereissati (PSDB) na eleição ao Senado. 

Oposição
A oposição está dividida. Para a deputada do PMDB, Dr. Silvana, Sérgio Aguiar representaria algo novo e um parlamento mais independente do Executivo. Já Heitor Férrer (PSB) diz que, a pedido de Zezinho, garantiu o apoio a ele e não irá mudar de ideia. Ao lado de Zezinho, o deputado Tin Gomes (PHS) diz que espera que a situação se normalize após a eleição da Mesa e a base continue forte.

Exonerados
No Estado, Augusto Júnior deve ser exonerado da presidência da Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adagri). Já na Prefeitura, devem deixar os cargos os gestores Rennys Frota (Etufor) e Walney Alencar (SER V).
O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário