23 de outubro de 2016

Fast Club acaba com jejum de 45 anos e conquista o Campeonato Amazonense 2017


O Fast tomou conta da Arena da Amazônia e levou os tricolores ao delírio.Foto: Jair Araújo

Alegria exacerbada, choros compulsivos e sinceros, gritos eufóricos de ‘É campeão’. Os adjetivos superlativos são inevitáveis para descrever o emocionante título do Fast Clube no Campeonato Amazonense de 2016 para seus torcedores, dirigentes, jogadores e membros da comissão técnica. Depois de uma longa e incômoda espera de 45 anos, o Rolo Compressor levantou novamente a taça de campeão estadual com uma vitória, por 3 a 1, sobre o regular Princesa do Solimões, neste sábado (22), à noite, na Arena da Amazônia.
Com o título da Série A do Amazonense conquistado nesta disputada final com o Tubarão, o time do Fast deste ano, liderado pelo técnico João Carlos Cavalo, entrou para a história do clube, assim como a data de 22 de outubro de 2016, pelo feito de quebrar um jejum de mais de quatro décadas. Desde o bicampeonato de 1970 e 1971, o Tricolor de Aço não sentia mais a felicidade de ser vencedor da divisão de elite do profissional.   
O Fast ainda fechou o Estadual, ostentando o melhor ataque, com 29 gols marcados, e a defesa menos vazada, com sete gols sofridos, em 14 partidas, incluindo os jogos da semifinal e final do Amazonense. Foram dez vitórias, contando as três sobre o Princesa do Solimões, dois empates e duas derrotas. Este é o sétimo título no Estadual do Rolo Compressor, em 86 anos de fundação do clube.
                                           Cassiano comemorou gol com a torcida
                                                             Foto: Jair Araújo
Bastante emocionado após o encerramento da decisão, o treinador do Fast deu um depoimento entre lágrimas e exaltou a união do grupo. “Não tenho nem palavras. É uma sensação de alívio e muito alívio, um grupo merecedor e humilde. Compramos essa briga juntos (pelo título) e estão de parabéns. Agora uma nova história começa no Fast, que tem uma grande torcida e é um grande clube”, declarou João Carlos Cavalo.
O comandante do Tricolor também relembrou outro feito histórico na carreira. “É a segunda vez que Deus me honra, em Manaus. Em 2005, levei o Grêmio Coariense a ser o primeiro campeão do interior (no Amazonense). No Fast, nós nunca desprezamos ninguém e trabalhamos com o pé no chão”, completou Cavalo.
Autor do terceiro e último gol do Fast na final, o atacante Charles Chenko fala que se redimiu com o título pela última passagem no clube. “A emoção é indescritível porque vinha esse jejum nas costas do Fast. Tudo que passei pelo clube neste dois anos, como em 2015, que fui muito criticado por causa da minha expulsão na semifinal com esse mesmo Princesa. Falei que voltaria este ano ao Fast para ser campeão”, disse Charles.
                            O título veio após 45 anos da última conquista do time
                                                                 Foto: Jair Araújo
Capitão da equipe tricolor, o volante Roberto Dinamite destacou a gestão do Fast na formação do elenco para o Estadual. “Tínhamos 11 jogadores das categorias de base (relacionados) hoje. No nosso elenco, 70% dos jogadores são amazonenses e nas dificuldades nos tornamos amigos e isso deu liga. Só viemos hoje para colocar a cereja no bolo, porque lideramos desde o primeiro dia. Um título bem merecido. Você trabalhar com o seu sonho é muito fácil, mas com o sonho dos outros é mais difícil”, afirmou Dinamite.
                                                           Foto: Jair Araújo

O Time Campeão formou com:











D24am
Diário do Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário