24 de março de 2016

Na final! Osvaldo faz dois, Cavalieri salva nos pênaltis e Fluminense bate o Inter

Foi nas disputa por pênaltis e com muita emoção como prometeu o técnico Levir Culpi, que o Fluminense se classificou para a final da Copa da Primeira Liga. Na noite desta quarta-feira, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília, o Tricolor empatou com o Internacional por 2 a 2 no tempo normal, mas garantiu a vaga na decisão após as cobranças de pênalti. Com a bola rolando, Osvaldo brilhou e marcou os dois gols do Flu. Nas penalidades, coube a Diego Cavalieri virar herói, fazer duas defesas e garantir o Time de Guerreiros vivo no caminho do primeiro título da temporada.
Na final, o Fluminense enfrentará Atlético-PR, que eliminou o Flamengo na outra semifinal, no próximo dia 7 de abril, em local a ser definido. Antes, porém, o Tricolor volta a entrar em campo pelo Campeonato Carioca. No domingo, o Flu recebe o Boavista, às 18h30, no Estádio Los Lários, em Xerém.
A primeira etapa foi de domínio absoluto do Fluminense. Com uma equipe bastante compactada e explorando a velocidade do quarteto ofensivo, o Tricolor partiu para o ataque desde o início. Logo aos cinco minutos, Jonathan recebeu em profundidade, foi ao fundo e cruzou. Gerson se antecipou ao zagueiro adversário, mas a bola saiu raspando a trave. No minuto seguinte, Osvaldo começou a infernizar a zaga do Internacional. O atacante foi lançado na direita, driblou o zagueiro, mas o chute de canhota saiu fraco e Muriel pegou.
Aos 13 minutos, foi a vez de Gustavo Scarpa levantar a torcida tricolor no Mané Garrincha. O meia arriscou de longe e obrigou o goleiro do Inter a fazer boa defesa. O camisa 40 voltou a aparecer bem aos 21, quando lançou Osvaldo na área. O atacante entrou em velocidade e tentou o toque na saída de Muriel, mas o goleiro se recuperou bem. Quando o gol do Fluminense parecia questão de tempo, o adversário abriu o placar com Vitinho, aos 24 minutos, que pegou rebote da zaga do Flu e chutou forte para abrir o placar.
Mas não deu nem tempo de lamentar. Menos de cinco minutos depois, novamente Osvaldo, grande nome do jogo, recebeu lindo passe de Gerson e tocou por baixo das pernas de Muriel. O goleiro até chegou a tocar na bola, mas não impediu o empate tricolor no Mané Garrincha. A virada quase veio aos 41 minutos em uma verdadeira blitz do Fluminense. Primeiro, Magno Alves recebeu e chutou forte por cima. Na sequência, Gerson aproveitou erro da zaga e soltou uma bomba de fora da área e ganhou escanteio após boa defesa. Na cobrança, Gum ganhou no alto e obrigou o arqueiro colorado a fazer outra grande intervenção.
Veio o segundo tempo e o panorama da partida foi o mesmo. O Fluminense seguiu apostando na agilidade do ataque contra a defesa colorada. Aos 13 minutos, Jonathan fez jogada espetacular, driblou dois e cruzou forte. Marcos Junior, que entrou no intervalo na vaga de Magno Alves, pegou de primeira, mas Muriel operou um verdadeiro milagre para impedir a virada. No minuto seguinte, no entanto, o Tricolor passou a frente. Gum fez um belo lançamento e Wellington Silva escorou de peito. Marcos Junior dividiu com o goleiro e a bola sobrou limpa para Osvaldo, de carrinho, marcar o segundo dele e do Flu na partida.
O Tricolor até teve chance de marcar o terceiro no contra-ataque, mas acabou castigado com um gol aos 39 minutos. Vitinho aproveitou rebote de um chute de Andrigo e empurrou para o gol. Com o placar novamente igual, os dois times já desgastados pouco criaram até o apito final. As cobranças de pênalti definiriam o ganhador da partida e quem avançaria à final.
Vida de goleiro não é fácil. Mas disputas de pênaltis costumam fazer dos arqueiros, heróis. O Fluminense marcou nas três primeiras cobranças com Gustavo Scarpa, Cícero e Marcos Junior. O Inter tinha perdido uma com Vitinho, que chutou no travessão. A partir daí entrou em cena Diego Cavalieri. Primeiro, o goleiro pegou a batida de Jackson. Felipe Amorim teve a chance de carimbar a vaga do Flu na final, mas desperdiçou. Anderson correu para a bola para manter o Colorado vivo, mas o Time de Guerreiros tinha um verdadeiro paredão, que saltou no canto esquerdo e garantiu o Tricolor na final da Primeira Liga.
FLUMINENSE 2 (3) X (2) 2 INTERNACIONAL
Data e horário: 23/03/2016, às 19h15 (horário de Brasília)
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC)
Auxiliares: Carlos Berkenbrock (SC) e Rosnei Hoffman Scherer (SC)
Gols: Vitinho, aos 24′/1ºT (0-1); Osvaldo, aos 29′/1ºT (1-1) e aos 14′/2ºT (2-1) e Vitinho, aos 39′/2ºT (2-2)
Cartões amarelos: Wellington Silva (FLU); Anderson (INT)
Público / renda: 6.474 presentes (4.624 pagantes) / R$ 306.470,00

Fluminense: Diego Cavalieri; Jonathan, Gum, Henrique e Wellington Silva; Pierre, Cícero, Gustavo Scarpa e Gerson (Felipe Amorim); Osvaldo (Douglas) e Magno Alves (Marcos Junior) – Técnico: Levir Culpi.
Internacional: Muriel; William, Jackson, Ernando e Artur (Raphinha); Silva (Marquinhos), Fabinho, Anderson e Alex (Andrigo); Vitinho e Eduardo Sasha – Técnico: Argel.
Comunicação Institucional FFC
Fotos: Nelson Perez – Divulgação FFC


Nenhum comentário:

Postar um comentário